Gustavo Perina

10 de fevereiro de 2021

Compartilhar

Conheça quais são diferenças entre os fretes CIF e FOB

5 min de leitura

A área de logística vem sendo cada vez mais explorada de maneira estratégica dentro das empresas, especialmente lojas virtuais. A gestão de frete é muito importante para manter seu negócio organizado e oferecer ao cliente um atendimento de qualidade.

Mas, além dos preços e prazos, é preciso observar algumas questões bastante sérias na hora de escolher o serviço de frete contratado pelo seu e-commerce: quem assume os riscos, os custos e as responsabilidades? Essas e outras questões serão respondidas no artigo de hoje.

Como funciona a logística do frete?

O sistema de contratação de frete vai muito além do preço praticado para o transporte. Este é um tipo de serviço onde importa muito a qualidade e a reputação da transportadora. Além disso, no momento da contratação o ponto mais importante é definir com clareza quem assume a responsabilidade por cada etapa do processo.

Neste sentido, é importante conhecer os conceitos de Cost, Insurance and Freight (CIF) e Free on Board (FOB). Estas duas modalidades de frete são diferenciadas, entre outras coisas, pelo momento em que o pagamento é feito e pelas responsabilidades e consequências assumidas.

O que é frete CIF e FOB e como eles funcionam?

Em Português, CIF pode ser traduzido como “custo, seguro e frete” e é a modalidade de frete onde o vendedor assume a responsabilidade, riscos e custos do transporte da mercadoria até o consumidor. Esta modalidade é paga na origem e o preço do frete já está embutido no valor do produto. Normalmente, o consumidor final do varejo prefere esta modalidade, por não precisar lidar com a parte burocrática do processo de transporte e poder receber a compra na comodidade da sua casa.

Já o frete FOB, traduzido como “livre a bordo”, é a modalidade em que o consumidor assume estes riscos, custos e responsabilidades, pois o compromisso do vendedor termina quando a mercadoria é despachada. Essa alternativa favorece mais o vendedor e costuma ser mais barata para o consumidor.

Cada uma dessas modalidades de logística tem seu espaço e público dentro do mercado de e-commerce. O mercado B2C (business to consumer), por exemplo, tende a utilizar mais o frete CIF, pois o volume de vendas e a diversidade de clientes torna esta a alternativa logística mais viável. Já o mercado B2B (business to business) encontra mais vantagem e recurso no frete FOB, pois trabalham com cargas grandes, de alto valor e, muitas vezes, o cliente já possui uma transportadora de confiança para fazer o serviço logístico.

Quando usar cada um dos fretes?

Entender cada cliente e cada modalidade de venda é essencial para fazer a melhor escolha logística. Para o e-commerce que comercializa produtos destinados ao consumidor final, o frete CIF é a opção mais recomendada, uma vez que o cliente não está familiarizado com a dinâmica do transporte de cargas e isso pode ocasionar mais complicações do que benefícios para ele. Ainda que o valor agregado à mercadoria se torne um pouco maior, a grande maioria dos consumidores está disposta a pagar pela comodidade do serviço quando o vendedor assume os riscos e responsabilidades do envio.

Quando o e-commerce vende para outras empresas, no entanto, a dinâmica do frete é diferente, pois normalmente este tipo de cliente já conhece o processo de logística e transporte de cargas, estando, assim, apto a assumir os riscos e responsabilidades deste processo. O frete FOB é mais vantajoso nestes casos pois, além disso, o cliente pode ter seu próprio sistema de transporte ou uma parceria com a transportadora, tendo condições de assumir os trâmites relacionados a esta etapa do processo.

Como fazer o monitoramento de cada frete?

No Brasil, a maior parte dos fretes em transportes são realizados na modalidade CIF, especialmente no modo rodoviário. Nesta situação, é importante que o rastreamento do status do pedido seja monitorado pelo vendedor, trabalhando para que a logística aconteça da maneira mais ágil possível e o cliente esteja sempre informado a respeito do andamento do processo.

Ainda que o controle no frete CIF seja do vendedor, o cliente pode ser informado sobre o status do pedido sempre que possível, para que ele se sinta mais seguro e confiante em relação à compra no seu e-commerce. Já no frete FOB, o vendedor não tem o compromisso de acompanhar o monitoramento da entrega, pois a responsabilidade foi assumida pelo cliente.

Quais são os custos de cada frete?

No frete CIF o valor do transporte é embutido no preço da mercadoria e repassado ao cliente como um valor único. Neste caso, a modalidade de frete pode ser informada na nota fiscal, de modo que o vendedor fique responsável por arcar com a despesa, sem gerar custos adicionais ao cliente.

No caso do frete FOB, o transporte é contratado pelo cliente e não está incluso no valor do produto, por isso deve ser especificado na nota fiscal. Desta forma, o valor compõe a base de cálculo para tributos.

Assim, podemos perceber que há muitas diferenças entre o frete CIF e FOB, mas as principais residem no custo, riscos e responsabilidades assumidas pelo vendedor e pelo consumidor. Para fazer a escolha logística mais acertada em cada situação, é imprescindível que o lojista do e-commerce conheça cada tipo de frete, suas características e particularidades para escolher e oferecer sempre a melhor opção.

Conhecer as diferenças entre as modalidades de frete é importante para apresentar ao consumidor sempre a alternativa mais vantajosa para a negociação. Além disso, o conhecimento desta variedade torna-se um diferencial de mercado para sua loja virtual, que estará pronta para atender seus clientes de forma eficiente e assertiva.

Últimas postagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *