Empreendedorismo / Ferramentas / Gestão

Qual a diferença entre plataforma alugada, plataforma própria e open source?

Quando se trata de ferramentas para e-commerces, há uma diversidade de recursos que devem ser considerados antes de criar ou […]

Qual a diferença entre plataforma alugada, plataforma própria e open source?

Quando se trata de ferramentas para e-commerces, há uma diversidade de recursos que devem ser considerados antes de criar ou migrar a loja virtual, como é o caso da plataforma onde a mesma ficará hospedada. Isso porque os sistemas fazem uma diferença significativa nos resultados, seja em relação à eficiência, escalabilidade, facilidade de gerenciamento, custos, entre outros aspectos. É nesse cenário que entra a plataforma de e-commerce, que pode ser open source.

Assim como todas as outras soluções voltadas ao universo corporativo, esse tipo de sistema possui suas próprias características e particularidades, as quais se adéquam a diferentes tipos de demanda. Saiba quais são elas e conheça também outros tipos de plataformas em nosso post!

Afinal, o que é uma plataforma open source?

O termo open source, que traduzido significa código aberto, se refere a softwares de utilização livre, que são desenvolvidos por comunidades abertas de programadores e disponibilizados para utilização gratuita. Nesse caso, os ambientes podem ser customizados e aprimorados conforme a necessidade, desde que haja conhecimento e capacitação técnica para executar as ações.

Ou seja, apesar de uma plataforma open source ter acesso gratuito, isso não significa que a opção não terá custos ao longo da implantação e manutenção, já que é necessário o auxílio de especialistas em TI e infraestrutura para hospedagem.

Por isso, o modelo traz prós e contras. A principal vantagem, nesse caso, é o maior possibilidade de recursos e personalizações, enquanto os pontos negativos envolvem custos altos com desenvolvedores, necessidade da estrutura física e prazos longos para as entregas.

O que é uma plataforma alugada?

tipos de plataforma e-commerce: plataforma alugada

Outra opção entre as plataformas de e-commerce é a plataforma alugada. Nesse modelo, denominado SaaS – Software as a Service, há o pagamento mensal de uma loja virtual padronizada, a qual pode ter um certo nível de padronização para se adequar aos projetos.

Isso quer dizer que o empreendedor não é dono da plataforma, mas tem o direito de utilizá-la pelo prazo contratado. Nesse caso, toda a parte técnica, que envolve a gestão do provedor de hospedagem, configurações e manutenção do sistema, ficam a cargo do prestador de serviços.

Já os recursos da loja em si, como a inserção de produtos, criação de departamentos, formas de pagamento, tipos de frete, são de responsabilidade do lojista.

Entre os benefícios da plataforma alugada estão o prazo curto de criação, o baixo investimento, a usabilidade, as integrações, o suporte prestado e a infraestrutura de TI pronta.

O que significa ter uma loja própria?

plataforma e-commerce: loja própria

Ter uma loja própria quer dizer manter uma plataforma desenvolvida sob medida por equipe interna ou empresa terceirizada. Esse tipo de recurso, apesar de oferecer o máximo controle para as empresas, requer um investimento financeiro alto, tanto em relação ao desenvolvimento quanto hospedagem e manutenção.

No momento de escolher a plataforma de e-commerce para o seu negócio, é fundamental pesar o custo-benefício de cada uma das opções citadas. É importante frisar que, para aqueles que buscam eficiência, facilidade e escalabilidade aliadas à redução de custos, as plataformas alugadas podem ser uma boa escolha.

Esperamos que o nosso conteúdo tenha sido útil para você. Quer saber mais sobre esse e outros assuntos relacionados ao comércio eletrônico? Então acompanhe as nossas redes sociais!

Tags:,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Chegou sua hora de crescer sem limites

Avalie por 10 dias grátis.

Crie sua loja