Mercado

Quem vai privatizar os Correios e como os marketplaces estão se transformando em empresas de logística

Não é de hoje que a privatização dos Correios está em pauta no Brasil. Entretanto, tudo indica que a maior […]

Quem vai privatizar os Correios e como os marketplaces estão se transformando em empresas de logística

Não é de hoje que a privatização dos Correios está em pauta no Brasil. Entretanto, tudo indica que a maior empresa de logística do país se aproxima cada vez mais de ser vendida. Segundo o Ministro da Economia, Paulo Guedes, isso deve ocorrer até dezembro de 2021.

Essa realidade ocorre em função de diversos fatores, como as críticas sobre a qualidade dos serviços por varejistas e especialistas do mercado entre 2017 e 2018, bem como ao prejuízo financeiro acumulado em R$2,7 bilhões.

Com a proximidade da venda da estatal, a qual atende 100% dos municípios brasileiros e detém mais de 40% do mercado nacional de entregas, é possível imaginar que grandes players da área de e-commerce já sinalizam o interesse na compra.

Saiba mais sobre o assunto no post!

Quais são as empresas que demonstraram o desejo de comprar os Correios?

De acordo com o que informou o Ministério das Comunicações, marketplaces como Amazon e Magazine Luiza demonstraram o desejo de adquirir os Correios. Mas por que grandes companhias como os marketplaces teriam vontade de administrar os Correios? Simplesmente por que se tratam de grandes potências.

Para se ter ideia, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), entre os meses de março e julho de 2020, foram criadas 150 mil novas lojas virtuais, sendo que 80% dos varejistas escolheram vender em plataformas como Submarino, Mercado Livre e Magazine Luiza.

Outro dado relevante é o da 42ª edição do Webshoppers, o mais amplo relatório sobre e-commerces do Brasil, o qual apontou que os marketplaces têm participação de 78% do faturamento total do setor.

Números como esses demonstram a força e as possibilidades de um crescimento ainda maior desse mercado com a compra dos Correios.

Conheça alguns investimentos em logística realizados pelos maiores marketplaces do país

Enquanto a venda dos Correios ainda não foi anunciada, os grandes marketplaces vêm investindo pesado em logística, de forma a manterem os processos com alta performance, o que se reflete diretamente na satisfação dos consumidores. Veja algumas ações que estão sendo realizadas:

Amazon

Com um valor de mercado que supera US$1 trilhão, a companhia já realizou diversas ações diferenciadas e inovadoras em relação aos processos logísticos, como frete marítimo, parcerias com empresas de táxi, drones e bicicletas, os quais garantem entregas  em até mesmo horas após a compra, além da rapidez em seus processos de entrega no geral;

Magazine Luiza

Uma das maiores lojas do Brasil conta com 23 centros de distribuição de mercadorias e 1.200 lojas que funcionam como mini centros. Assim, varejo físico e online atuam em parceria para oferecer a melhor experiência de compra aos consumidores;

Mercado Livre

Uma das últimas inovações do maior marketplace da América Latina foi a compra de uma frota com quatro aeronaves para fortalecer o processo logístico da empresa, a qual também investiu na construção de novos centros de distribuição para otimizar as entregas no País. Os investimentos da companhia em 2020 ficaram em torno de R$4 bilhões.

Por enquanto a privatização dos Correios é apenas uma possibilidade futura. Todavia, no momento em que o anúncio sobre a venda for feito, saberemos quais são os principais candidatos à compra.

Gostou do conteúdo? Então compartilhe agora mesmo em suas redes sociais!

Tags:, , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Chegou sua hora de crescer sem limites

Avalie por 10 dias grátis.

Crie sua loja