Gustavo Perina

5 de maio de 2021

Compartilhar

Tendências do V-commerce para 2021

4 min de leitura

As tecnologias mobile avançam cada vez mais rápido e nessa velocidade também se transformam os hábitos dos consumidores. Sempre à mão, o smartphone se consolidou como dispositivo prático e confiável para obter produtos no e-commerce, o famoso “mobile first”. E muita gente já percebeu que nem precisa digitar mais. 

Com a chegada dos assistentes de voz, a experiência de consumo está mudando mais uma vez e direcionando o caminho do comércio eletrônico em  2021. Quem aí já não se viu falando “Ok, Google”? Siri e Alexa também já são nomes populares em todo o mundo. A busca e a compra por voz chegaram para ficar. 

Estamos falando do V-Commerce, Voice-Commerce ou Comércio por Voz, uma das grandes tendências do mercado online no Brasil e no mundo. Trata-se do comércio que usa inteira ou parcialmente comandos de voz, desde a pesquisa até a negociação e finalização da compra. A tecnologia usa os aplicativos ou assistentes virtuais para elevar a praticidade e a agilidade a um novo nível, sem abrir mão da segurança e privacidade dos dados. 

Mais de 45% dos usuários brasileiros já realizam buscas por voz na internet, segundo pesquisa da Adventures Inc.. Uma adaptação em crescente: a crise pandêmica potencializou os negócios virtuais e também o consumo por voz, que aumentou 47% nesse período no país, conforme levantamento da agência de dados Ilumeo.

Já nos Estados Unidos, a agência americana Delineate aponta que o V-commerce atinge quase 20% dos consumidores e movimenta milhões a cada ano, com forte tendência de crescimento. A expectativa é atingir 40 milhões em 2022. Caminho que deve ser seguido por outras nações, como o Reino Unido, e mostra que as empresas precisarão se adaptar para vender de uma nova forma.

A gigante Amazon foi uma das primeiras empresas a investir intensamente no V-commerce, com a criação da Alexa. Enquanto no Brasil, o Google Assistant foi um dos pioneiros, trazendo em 2017 a proposta de assistente pessoal que interage e realiza tarefas no dia a dia do usuário.

Hoje, o maior impacto da tecnologia é percebido nos setores de compras e reabastecimento rápidos, como itens de supermercado, saúde, beleza e vestuário. Mas a tendência é que todas as lojas virtuais cresçam com o voice commerce, além dos outros setores da economia, pois os softwares de comandos de voz estão sendo adaptados para diferentes necessidades nos processos da indústria e dos serviços.

Os negócios comumente usam a busca por voz no atendimento ao cliente, atividades do dia a dia e marketing digital. Assim, beneficiam suas lojas virtuais com agilidade, acessibilidade e experiência personalizada para o consumidor.  A partir da primeira interação por voz, a empresa ganha a confiança e fidelização do cliente, que passa a valorizar essa jornada rápida e eficaz.

Pode-se preparar. Será cada vez mais comum ver alguém preso no trânsito, realizando uma compra por voz que receberá em casa rapidamente.

O futuro próximo do V-commerce permitirá o reconhecimento por voz cada vez mais natural e o uso em serviços de entrega perto de casa, poucas horas após a compra. O custo para as empresas também é cada vez mais acessível, uma vez que a funcionalidade é desenvolvida a partir de assistentes virtuais já existentes, que são personalizados.  

Negócios de todos os tamanhos no Brasil já podem oferecer V-commerce para os seus clientes. Tudo o que a empresa precisa é procurar um profissional capacitado para desenvolver a plataforma que intermediará a sua loja online com o assistente virtual, ou seja, um tipo de interface adaptada às necessidades da sua empresa e do seu cliente. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *