Gustavo Perina

25 de março de 2022

Compartilhar

Como criar um nome atrativo para a minha loja?

5 min de leitura

O nome da sua loja é um ponto essencial dentro do seu negócio, pois é a partir desse primeiro contato que as suas principais características, valores e experiências vão ser mostradas para os possíveis clientes.

Criar e escolher um nome que traga todo o significado da sua marca e passe a sua mensagem é um ponto essencial e sim, existe uma técnica criativa por trás disso.

Para criar um nome é necessário utilizar a técnica do Naming (tradução em português: nomear). Esse método é muito utilizado no mundo do marketing e da publicidade.

Mas, não pense que para fazer o Naming você precisa ter apenas a criatividade em jogo, para criar um nome de produto é necessário também ter muita estratégia, planejamento e pesquisa de mercado.

Neste artigo vamos te dar dicas para desenvolver um bom nome para a sua loja:

Coisas que você precisa saber sobre Naming

Antes de entender como funciona o processo de Naming, primeiro, você precisa entender alguns conceitos básicos sobre a técnica e como ela funciona de fato.

Para fazer o Naming, é necessário compreender que:

  • O nome deve estar disponível pelo INPI (registros de marcas e patentes), pois depois de pronto, você também deve registrá-lo para protegê-lo; 
  • Deve ser um nome curto e de fácil memorização;
  • Procure fugir de clichês e modismos;
  • Explore outras línguas ou dialetos, desde que faça sentido. 

Entenda os principais tipos de Naming

Para começar a aplicar essa estratégia, é necessário conhecer os principais tipos de Naming que existem:

  • Inventados: Nomes inventados de forma aleatória, sem expressar necessariamente a descrição dos produtos ou as experiências do criador. Exemplo: Häagen-Dazs;
  • Descritivo: Os nomes descritivos remetem ao que a empresa/produto faz. Ao entrar em contato com o nome, a pessoa fará uma associação imediata. Exemplo: HotelUrbano;
  • Experiência: Nesse caso, o nome é criado a partir das experiências que possuem a intenção de serem criadas para os clientes. Exemplo: Natura;
  • Nomes próprios (patronímicos): Nomes baseados em pessoas, normalmente nos seus criadores. Exemplo: Ferrari;
  • Siglas: Recurso que utiliza as siglas ou abreviações. Exemplo: 3M (Minnesota, Mineração e Manufatura);
  • Nomes de lugares (toponímicos): Nomes que fazem referências ao local de origem da empresa ou produto. Exemplo: Folha de São Paulo;
  • Existem também abreviações, composições (junções de dois nomes), sugestivos, e outras formas de nomear a sua marca ou produto

Como usar a técnica de Naming? 

Agora que você entendeu pontos-chave sobre o Naming e os tipos de criações que existem, chegou a hora de entender como funciona esse processo: 

Conheça o seu público-alvo e o mercado

Pode parecer repetitivo, mas todas as estratégias da sua empresa estão ligadas diretamente ou indiretamente com o seu público-alvo e o mercado que ele está inserido, e claro, que com a criação do nome não poderia ser diferente.

O seu nome se refere a comunicação que será feita na sua loja e em suas estratégias, então, ele precisa estar ligado a forma que o seu público se comunica. 

Não adianta ter um nome super “sério” e se comunicar de forma informal. 

Avalie o que a sua marca promete aos clientes

Como você quer que as pessoas associem a sua marca? O que você quer que a sua marca transmita? Essas são perguntas que devem ser respondidas antes de iniciar o processo de Naming

Para fazer a construção do nome do produto de forma estratégica é muito importante ter não somente o conhecimento de mercado, como também, o autoconhecimento. O nome terá a função de refletir uma personalidade, então a sua escolha precisa ser coerente. 

Faça um brainstorming 

Com esses pontos entendidos, chegou a hora de colocar todas as suas ideias no papel

Jogue tudo o que veio na sua cabeça: nomes, frases, desenhos, combinações… Tudo é válido, até mesmo o que parecer bobo ou impensável. 

Nesse ponto, também vale procurar palavras em outras línguas ou dialetos. 

Diga os nomes em voz alta

Depois de escolher, diga os nomes em voz alta, coloque ele em papéis, imagine como ele seria em um site, etc. Assim, você irá perceber se esse será um nome fácil e efetivo.

Certifique-se da exclusividade da marca

Depois de escolhido, é importante certificar se o nome do produto pode ser utilizado ou se ele já foi registrado no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), que nada mais é do que um órgão responsável pela concessão de direitos autorais

Para que você não perca tudo o que construiu do dia pra noite, é muito importante fazer essa registro, já que, mesmo que você use durante anos uma marca não registrada, outra pessoa pode registrar por você, podendo utilizar seu nome, logo, domínio do site, etc., visto que ela será a detentora dos direitos autorais dessa marca a partir de então. 

Então, não dê bobeira e procure registrar a sua marca assim que possível.

Para não correr o risco do nome escolhido já ter sido registrado, pense em mais possibilidades de nomes. 

  • Quem faz esse registro?

    É possível que você mesmo faça o registro no INPI, mas é um processo extremamente burocrático e requer conhecimentos técnicos de leis, por exemplo. Existem diversas empresas que fazem esse serviço por você de maneira simples. O investimento é essencial. 

O processo de criação de Naming requer um conhecimento profundo sobre a sua marca, seu negócio e principalmente sobre o seu público. Só assim você será capaz de aplicar as estratégias corretas e pensar de acordo com aquilo que o seu público espera. 

Também é importante prestar atenção nas tendências e naquilo que as pessoas procuram dentro do mercado

Esperamos que esse artigo tenha te ajudado e feito você entender de maneira simples e rápida o processo de Naming

Últimas postagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *