Gustavo Perina

19 de abril de 2021

Compartilhar

Como usar o Clubhouse para seu negócio

4 min de leitura

Uma das principais tendências em formatos de conteúdo para a web é o de áudio. Depois do texto escrito e em vídeo, as salas, grupos e pesquisa por voz estão se tornando cada vez mais populares. Um exemplo são os podcasts. De acordo com um levantamento da Deezer, divulgado em 2020, eles cresceram 117% no período de um ano. A partir desse contexto é que surgiu o Clubhouse, rede social por voz que tem ares de exclusividade. 

Isso porque, a princípio, só pode ser acessado por usuários de Iphone (iOS). Além disso, é preciso receber um convite para ser membro e realizar o cadastro no aplicativo. Tudo isso vem gerando curiosidade e anseio em participar da plataforma, a qual já conta com diversas celebridades e marcas famosas. 

Por que usar essa rede social no seu negócio?

Para começar, é importante que você entenda o funcionamento do app. O Clubhouse se baseia na criação de clubes e salas em grupo, onde os participantes só podem se comunicar por voz. Ou seja, ao contrário de redes sociais como o Facebook e Instagram, o Clubhouse não permite envio de imagens, fotos e mensagens de textos nas conversas.

Outra característica é que os chats sempre ocorrem ao vivo, são organizados por “speakers”, ou usuários que falam, e “listerners”, os quais ficam como ouvintes no bate-papo. De modo geral, é uma rede social por voz que integra podcasts, conferências de áudio e chamadas ao vivo, permitindo a criação de eventos para discussão de temas específicos, sugeridos aos usuários conforme os interesses inseridos durante a criação do perfil.

Por se tratar de uma mistura de tendências de marketing e comunicação, pode auxiliar os e-commerces de diversas maneiras. Para começar, contribui com o branding, ou construção de marca, já que a empresa passa a fazer parte de discussões com usuários interessados em seus produtos e soluções. Outras vantagens são o networking com profissionais de todas as áreas, podendo criar uma rede de pessoas envolvidas em novos trabalhos, projetos e debates. 

Como é uma rede social por voz, o Clubhouse vem sendo usado para transmissões ao vivo no YouTube, ao mesmo tempo em que é gravado um áudio no app. Assim, quem está transmitindo os conteúdos pode criar conteúdos ricos para a internet, abrir as discussões e, até mesmo, trazer acessibilidade para quem ainda não está na rede.

Outra característica do app é que não é possível anunciar dentro do aplicativo. Em contrapartida, as funcionalidades permitem fazer parcerias com duas ou mais pessoas com autoridade em outros canais e assuntos, de modo a criar uma sala de discussões e chamar a atenção dos usuários.

Apesar de você não levar a sua empresa para dentro da rede social, o usuário com autoridade para falar sobre um segmento pode criar grupos de conversas, favorecendo diretamente o relacionamento e o fortalecimento de marca.

Marcas que já estão no Clubhouse

A montadora Audi foi a primeira marca a criar uma sala de debates no Clubhouse. Na ocasião, proprietários, convidados e executivos falaram sobre a eletrificação de veículos no Brasil. O objetivo, segundo o diretor de comunicação e marketing da Audi Brasil, Cláudio Rawicz, foi promover o pioneirismo em relação aos conteúdos relevantes nessa rede social, não apenas para clientes, mas para todos os interessados no mercado de automóveis. 

Outra companhia que já está realizando ações no Clubhouse é a Nestlè, com bate-papos como o Nescau Sports Talk, o qual conta com a participação de atletas, embaixadores da marca e porta-vozes da empresa. Segundo o gestor de marketing, Abner Bezerra, a estratégia visa tirar as dúvidas das pessoas e promover um espírito voltado ao esporte. 

Projetos como os citados promovem visibilidade, autoridade, alcance e otimização no relacionamento com o consumidor. Consequentemente, há o aumento nas vendas e na lucratividade. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *