Eduarda Guedes

3 de setembro de 2021

Compartilhar

6 dicas de SEO para cadastro de produtos [Guest Post]

11 min de leitura

Nos últimos dois anos, o comércio eletrônico tornou- se a principal e mais prática forma em que o internauta compra itens online. Logo, as lojas físicas precisaram se adequar a essa nova realidade, migrando para o mundo digital para não perder a sua fatia do bolo. Só em 2021, segundo a E-Commerce Brasil, houve um crescimento de mais de 50% nas vendas online em comparação com o mesmo período em 2020. 

As vantagens da loja virtual são várias. Estar disponível 24 horas para os clientes, permitir que o usuário busque pelo que ele procura e possa pagar da forma mais confortável são apenas algumas delas. Mas, e se o usuário tiver dúvidas sobre o produto? Em uma loja virtual, não há vendedores disponíveis para atendê-lo.

Nessa hora, entra o cadastro de produtos, importante forma de ajudar o consumidor em sua decisão. Além de ser uma ótima maneira de conseguir as melhores posições nas pesquisas do Google. Como? Utilizando as boas práticas de SEO.

Quer saber mais? Confira abaixo.

Por que é importante cadastrar produtos em uma loja virtual?

Imagine o cadastro de produtos de uma loja virtual como o vendedor em uma loja física. Se você procura um produto online, quer ter a certeza de que aquele é o produto que você quer, não é? Um bom cadastro fornece o máximo de informações para auxiliar o usuário que está no fundo do funil.

Além disso, uma pesquisa sobre a qualidade do e-commerce no Brasil mostrou que 72% das pessoas que participaram relataram uma experiência ruim ao realizar uma compra online. O principal motivo da crítica é a falta de informações relevantes nos produtos.

Com um cadastro mal feito, além de não ajudar o cliente a comprar o produto, faz crescer a desconfiança dele na qualidade do site e do seu serviço. E uma vez que o consumidor fecha a janela, é um adeus para aquela venda.

Quais são as boas práticas de SEO?

Usar as boas práticas de SEO é um ótimo caminho para conquistar melhores posições nas pesquisas do Google. E quanto melhor a posição, maior a chance de aumentar seus acessos, suas vendas e, claro, seu lucro.

Separamos seis dicas e práticas para você dar atenção, confira todas abaixo.

Capriche no Title e Meta Description

É muito importante que tanto o Title quanto a Meta Description estejam otimizados. Aqui, o ideal é fazer uso de palavras-chave que sejam relevantes para o seu negócio.

O Google lê da esquerda para direita, logo, coloque os termos mais importantes no início do conteúdo, já que será a primeira coisa que o internauta verá nos resultados da pesquisa.

Uma boa dica na hora de otimizar o Title é dar preferência ao produto, não ao nome da sua loja. As pessoas procuram mais por produtos e menos por lojas. Outras dicas legais para otimização do Title é utilizar palavras-chave que:

  • tenham um ótimo volume de busca;
  • sejam relevantes para o seu negócio mostrando as vantagens que você tem. Exemplo: “Compre biquíni de praia em até 10x sem juros”.

No caso da Meta Description, é importante utilizar termos que mostrem as vantagens competitivas do seu negócio em comparação aos seus concorrentes. Oferece frete grátis? Está com desconto especial? Esse é o lugar para mostrar isso ao internauta.

Utilize as abas para inserir Title e Meta Description na hora de cadastrar o produto na plataforma Webstore, obedecendo as limitações de caracteres para criar um conteúdo otimizado e que seja atrativo para o usuário.

Boas práticas de SEO para Title e Meta Description

Como verificar o volume de busca de uma palavra-chave?

Uma palavra-chave é um termo que resume temas em um texto, o que serve de referência para uma pesquisa. Por isso, é importante que você saiba quais as palavras-chave que estão mais relacionadas ao seu negócio, para que possa utilizá-las em seus conteúdos.

Palavras com maior número de volume, as chamadas Head Tails, costumam ser mais genéricas. Enquanto termos com menos volume de busca (Long Tails) geralmente são mais assertivos, pois são utilizados nas pesquisas por pessoas que já estão no fundo do funil. Ou seja, estão mais próximas de se tornarem clientes.

Outras dicas são:

  • Use ferramentas online gratuitas, como o Ubersuggest e o SEMRush, para fazer essa verificação de volume de busca. A segunda também verifica as palavras que são usadas pelos seus concorrentes, algo muito importante para sua estratégia;
  • use o Answer the Public para aumentar o campo semântico do conteúdo;
  • Após escolher o termo, abra uma página anônima (CTRL+SHIFT+N) e faça uma pesquisa para verificar na SERP (página onde são mostradas os resultados da pesquisa feita pelo usuário) se aparece como resultado outras páginas de produtos, até mesmo da concorrência. Assim você evita escolher uma palavra-chave que é usada com outra intenção de busca; 
  • Evite o excesso de palavras-chave em um texto, o chamado Keyword Stuffing, para não ser penalizado pelo Google.
  • O que acha de colocar aqui um ponto para o cara validar se o termo está associado a intenção de busca transacional? Por exemplo: ao escolher o termo, faça uma pesquisa e veja se a SERP possui páginas de produto, caso contrário você utilizará um termo que os usuários utilizam para outra intenção de 

Escreva bons conteúdos para os produtos

Como dissemos no início do texto, um e-commerce não possui um vendedor, alguém para tirar as dúvidas e oferecer sugestões ao usuário. É aí que uma boa descrição de conteúdo entra. 

Por exemplo, se o consumidor pretende comprar uma televisão, ele deseja saber tudo sobre ela para ajudar em sua decisão. Se ela tem uma imagem boa, som cristalino, se acessa à internet, se o seu design pode vir a combinar com outros móveis do ambiente. Imagine essa descrição de conteúdo como um diálogo entre você, gestor da loja online, e o consumidor.

Além de estar de acordo com as melhores práticas de SEO, uma boa descrição de produto deve:

  • antecipar e responder às dúvidas mais comuns dos visitantes;
  • agregar o valor que o produto terá na vida do consumidor;
  • encantar e persuadir.

Uma ótima dica é ver depoimentos de produtos no seu site e em outros sites para saber o que o usuário espera e qual percepção dele sobre os produtos.

Na plataforma, utilize o espaço “descrição de produto” para falar sobre a mercadoria da forma mais completa possível. Coloque-se no lugar do cliente e, ao ler o conteúdo, pergunte-se se ele está bem explicativo e se responde às dúvidas que possam surgir.

Se seu e-commerce se dedica a vender produtos como eletrônicos ou específicos, como suplementos por exemplo, use as abas “Especificações” e “Dados Técnicos” para descrever com mais detalhes e o máximo de informação para o consumidor.

Boas práticas de SEO para descrição de produtos

Se for revendedor, procure fugir dos padrões

Se você atua como revendedor, destacar-se pode ser uma dificuldade, já que a concorrência pode ser bem maior. A dica para um bom cadastro de produtos obedecendo às melhores práticas de SEO aqui é ser criativo.

Utilizando o ponto anterior, procure, além de apresentar o produto, demonstrar os benefícios que ele trará na vida do usuário. Se seu e-commerce vende tênis, ressalte as características que atrairão o usuário, como estilo, tendência, conforto, se for um tênis esportivo.

Trabalhe palavras-chave que estejam relacionadas, variando o campo semântico para se diferenciar dos sites concorrentes com o mesmo produto.

Acrescente imagens e vídeos

Além de um bom conteúdo para substituir o vendedor, é muito importante usar imagens e vídeos no cadastro do produto, para se destacar em relação à concorrência, já que não é possível tocar no item que você quer vender. E é possível trabalhar SEO em ambos. 

Nas imagens, utilize quantas forem possível, dos ângulos mais criativos e variados. No caso de um e-commerce de moda, por exemplo, o mínimo detalhe pode ajudar o usuário a decidir pela compra e ajuda a evitar reclamações e devoluções.

Para vídeos, o princípio é o mesmo, basta acrescentar a URL na aba “VÍDEO” no cadastro. Use-o para explicar detalhes de forma mais aprofundada, o que pode não ser possível através de imagens. Se for um aparelho de som, por exemplo, você pode demonstrar a usabilidade do produto, ou a qualidade da tela de uma TV.

Imagens e vídeos são importantes ferramentas para ajudar na marcação de dados, algo que o Google considera bastante quando ranqueia os sites na SERP, falaremos disso mais adiante. Além de tornar o produto muito mais atrativo aos olhos do consumidor.

Como inserir ALT nas imagens

Uma implementação que deve ser feita para obter mais melhorias no SEO da sua página é o uso do ALT nas imagens. Sua principal tarefa é fornecer uma descrição alternativa e informativa, o que é ótimo para trabalhar mais palavras-chave relacionadas à foto e ao seu negócio.

A plataforma da webstore permite tanto inserir ALT quanto mudar a descrição das imagens direto no servidor, sem a necessidade de subir uma nova imagem.

Em se tratando de Tag ALT, é preciso dar atenção a três pontos:

  • a Tag ALT, que deve ser preenchida de acordo com a imagem;
  • o nome do arquivo da imagem;
  • e o tamanho do arquivo, que deve ser de no máximo 70 kb. Use o TinyPNG para editar a imagem sem perder a qualidade.

Importante ressaltar que o contexto da imagem também é importante. Se sua página vende biquínis, você não vai usar a imagem de uma geladeira. Parece meio óbvio, eu sei, mas vale ter atenção nisso.

Para implementar ALT em suas imagens basta:

  • abrir o editor HTML;
  • inserir após a tag “alt=” o texto com palavra-chave;
  • Use a tag Title (após “title=”) para descrever a imagem, como uma legenda. Aproveite para usar mais palavras-chave.

Cuidado com produtos em falta no estoque

Produtos zerados no estoque são péssimos para o Bounce Rate  (Taxa de Rejeição) do seu e-commerce. Se você não oferecer opções de produtos para o usuário substituir o item que não encontrou, ele irá imediatamente fechar a janela, sem realizar nenhuma ação. 

Para evitar isso existem duas opções, que podem ser aplicadas de acordo com as seguintes circunstâncias:

  • Se o produto retornar ao estoque em algum momento, selecione na plataforma da Webstore a opção “interromper a venda” na aba ESTOQUE, e no conteúdo insira um aviso de falta de estoque. Outra prática muito bem-vinda é utilizar uma caixa para o usuário deixar seu email para ser avisado de quando o produto irá retornar ao estoque;
  • No caso de o produto não retornar, é preciso avaliar se a página estava trazendo muito tráfego, e se estava ranqueando bem nas pesquisas. Se for esse o caso, insira a mesma opção da dica anterior, pois é uma boa ideia manter a página. Mas só se houver produtos semelhantes no site. Porém, se a página não receber muito tráfego, faça um Redirecionamento 301 para a página de um produto similar. Tenha um conteúdo explicando sobre o produto, demonstre que você se preocupa com o atendimento e com o usuário;

Trabalhe com dados estruturados

Uma outra melhoria ótima para seu e-commerce ranquear melhor nas pesquisas é trabalhar com a marcação de dados estratégicos para produtos, para organizar e classificar o conteúdo de uma página de forma otimizada.

Com isso fica mais fácil para os buscadores, em especial o Google, entenderem a qualidade da sua página, evitando que seu ranqueamento na SERP seja prejudicado. E fornece mais informações ao usuário como, por exemplo:

  • preço;
  • disponibilidade da mercadoria;
  • ler comentários e avaliações de outros clientes.

A marcação de dados ajuda a aumentar a taxa de cliques em sua loja virtual, aumentando as chances de conversão.

Como adicionar dados estruturados em produtos

É possível fazer a marcação de dados através da ferramenta chamada Data Highliter. Ao entrar:

  • escolha a propriedade (o site precisa estar cadastrado no Google Search Console);
  • clique no botão “começar a destacar”;
  • insira a URL que deseja configurar os dados estruturados e escolha a opção “formatação da marcação”;
  • selecione as partes que deseja marcar, associe as informações de acordo com o formato escolhido e publique;
  • Existem outras formas de implementação de dados estruturados, como em JSON-LD, RDFa e microdados, por exemplo, seja para uma página de produto único ou para um agregador de compras. Para inserir esses códigos direto no HTML da página, siga as diretrizes estabelecidas pelo Google e faça um teste de pesquisa aprimorada para validar o código.

Gostou das dicas? Com elas, você consegue executar um cadastro de produtos na plataforma da Webstore otimizado, tornando o seu e-commerce mais atrativo para o usuário e conquistando melhores posições no Google.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *